terça-feira, 24 de novembro de 2009

Dor Rabugenta

- Mãe, sobre o que eu escrevo hoje? - Escreve "a dor de cabeça incurável da minha mãe"! - Tá! Pedido de mãe é ordem. Com o solícito objetivo de habituar-me a escrever diariamente de novo, qualquer tópico vale. Ah, mas essa dor. Tenho perdido a minha mãe ultimamente. Ela não tem sido mais a mesma. Claro que ela é a mesma, linda querida amável carinhosa, por dentro! Eu quero exterminar com a dor de cabeça do mundo!!! Ela afeta não somente quem a possui, mas à todas as pessoas que convivem com o cidadão sofredor. De manhã. "Bright sun! Dia lindo, vou lá tomar um café da manhã antes da mãe sair!". Abro a porta do meu quarto, e escuto estridentemente "Nicole, o que custa arrumar a cama quando acorda?". Já vi tudo, mau-humor, gritos, testa franzida, é dor de cabeça! É dor de cabeça vinda do ciático, é dor de cabeça vinda da coluna, vinda do estômago, vinda dos pés, vinda da garganta, vinda dos olhos, vinda das unhas..... aiii quanta dor de cabeça! De tarde. Rumo à empresa, vamos juntas. Demoro alguns segundos a mais que ela para descer após me arrumar. E a dor começa a querer se soltar... "eu vou te deixar!", "é todo dia a mesma coisa", "ai Jesus, até quando vou aguentar?". Descobri que sou muito mais paciente do que eu achava ou do que meu horóscopo sagitariano sempre me disse. Eu não explodo mais (quase). E como vocês podem ver, até piada estou fazendo de tudo isso. De noite. Como voltei a morar com eles, antes de dormir adoro ir no quarto deles, e deitar do lado dela um poquinho. "Ai que bom, hora de descansar, que dia cheio, mas produtivo, ou não também, tudo bem, tenho minha mãe aqui do meu lado. Posso deitar um pouco? (afinal, passei 1 ano e meio fora de casa, e ela pedindo pra eu voltar!)". "Hoje não, tô com dor de cabeça, calor e vai ficar muito apertado". Detalhe, estou colecionando esses "hojes não" ultimamente. Sabe aquele cavalinho que dá patada para trás no programa Pânico na TV, da Rede TV, quando alguém dá um fora em outra pessoa? É o q tem acontecido. E o meu cavalinho tem nome ainda, Solanja. Mãezinha tem me dado várias patadas. Mas como sou uma filha querida (e que já aprendi a lidar com ela), vou dar uma trégua pra ela, e liberar o crédito de patadas por mais um tempo. Mas já avisei ela que meu standart "eu te entendo, mãe!" uma hora não vai colar mais! Médico?! Capaz, ela não gosta! "Ah Nicole, ele vai me receitar as mesmas coisas que tô tomando e terei que pagar 150 pila ainda pela consulta!". Aiai. E Dorflex? RÁ. Dorflex é arroz lá em casa. É meio dia e de noite! E se ela fosse japonesa ainda, tomava nas outras refeições! Dias atrás no Globo Repórter, escutei que remédios para dor de cabeça somente suavizam a dor, massageiam ela, que na próxima vez q latejar, ela volta mais forte ainda! E ela me escuta? Escuta o Chapelin? Não!!! Geração Dorflex total! Vamos cuidar com a auto-medicação, people! Pensar melhor na alimentação, praticar exercícios físicos, realizar um hobby, exercitar o sorriso principalmente! E mãe... chega de dor de cabeça, please! Lembre-se, quanto mais dor... mais chato você fica! by Nitch

3 comentários:

  1. Nada como uma otima mensagem sobre o cotidiano. Todos nós temos nossas dores de cabeça. E isto é diário. O stress tbm ajuda a causar tais dores. Vão as dicas de sempre pra não ficar dependendo de remédios. Vida saudável é tudo!
    Bom findi! Te cuida, guria! Beijos

    ResponderExcluir
  2. I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

    ResponderExcluir